Traduzir letra para:
  • tradução
Nagô Sinhô Preto Velho
Me chamam de negão, mameluco, black
Nada disso eu so nagô toco atabaque e faço
Scratches, eu so nagô, sou filho de Oxalá e na língua
Afiada eu carrego ioruba, brancos, em seus
Navios Negreiros me tiraram da tribo e me
Trouxeram para o pesadelo, uma terra distante
E disconhecida mal sabia eu que
Era o fim de minha vida, humilhados e
Acorrentados até o pescoço, comiam
A carne e me jogavam o osso, a
Viagem era longa e meus imãos
Morriam, só assim as suas almas se
Libertariam, até que um dia, o dia
Chegou, o navio então parou nas
Costas uma caixa que tinha que
Carregar e gritavam “Negro você tem que trabalhar”.
Não entendia o que acontecia com toda essa gente
Me levavam em praça publica e olhavam os meu dentes
De repente o ouro rolava e com algumas moedas
Logo alguém me levava, fui parar no latifúndio, uma grande fazenda
Acorrentado pro orixá nem podia
Fazer uma oferenda a senzala era
O sofrimento do negro quem sem perspectiva, morria ao relento, e depois
Era enterrado e qualquer buraco
Eu sou negro e mereço ser enterrado dignamente
Pois sou filho de Deus
Pensem bem branco, negro pode ser os filhos teus
Um dia a esperança chegou, negro Bantu ele se rebelou, matou
Muito branco e um quilombo ele montou
Era palmares a última esperança pois foi com ela que eu sonhei desde criança
Depois emotivado pela dor me revoltei peguei
Nega Teresa da senzala eu escapei

Nagô negro guerreiro ,
Nagô Índio caçador
Na África era um Rei
No Brasil um trabalhador

Viva Zumbi, Viva Zumbi.


Denunciar conteúdo inapropriado
ouvir música adicionar no player
  • músicas
Publicidade
letras de Sinhô Preto Velho
as mais acessadas:
00:00 / 00:00